Internação Involuntária

Central Terapêutica - Reabilitação para Alcoolismo e Dependência Química.

Internação Involuntária

A internação involuntária é acionada pela família. Nesse caso, a pessoa que pedir a intervenção deverá assinar a autorização e ter ligação consanguíneo com o dependente, por exemplo, pai, mãe ou filhos. Engana-se quem pensa que a dependência química é um desafio apenas para o usuário. Esse vício deixa todo o núcleo familiar codependente, e tem o potencial de devastar toda a relação e harmonia familiar. Para amenizar os danos, muito se ouve sobre a Internação involuntária, mas será que funciona?
A verdade é que ajudar o dependente a reconhecer a doença e a necessidade de um tratamento é indispensável para frear as graves consequências que o vício traz, como perda de emprego, afastamento de amigos e falta de interesse na vida social.
A partir do momento em que o usuário deixa de usar apenas por diversão e passa a querer aquilo com maior frequência, ele se torna capaz de qualquer loucura só para não sentir o desprazer que a ausência da droga traz, e nessa situação, a pessoa passa a ser reconhecido como um dependente químico.
É por esse motivo que a dependência química afeta direta e indiretamente toda a família, pois, o usuário já não mede as consequências de seus atos e pensa somente em consumir a substância que supre seu vício.
Um dos maiores erros cometidos é de não considerar a dependência como uma doença, e em muitos casos, por medo, preconceito ou até acomodação, as famílias demoram a tomar atitudes sérias em relação a esse problema.
Se você acredita que essa alternativa é desumana, agressiva e abusiva, está muito enganado. Essa pode ser a única opção para salvar uma pessoa amada, e é por lei que garante os direitos de que um dependente químico seja internado contra a vontade.
Ao contrário da internação voluntária e compulsória, no caso das internações involuntárias, o dependente químico não enxerga a necessidade de um tratamento adequado para o seu vício. Mas sua família acredita ser a única solução.
Por isso, os familiares que possuem ligação consanguínea com o usuário, podem acionar esse tipo de internação, e assinar uma autorização para que aconteça.

Oferecemos um tratamento humanizado, resgatando a dignidade, valores familiares e a qualidade de vida do paciente.